sábado, 6 de março de 2010

Taxista de Leça morreu na A3 ao voltar de um serviço

Taxista de Leça morreu na A3 ao voltar de um serviço


Acidente deu-se quando um Mercedes colidiu com traseira do táxi
Um taxista de Leça da Palmeira  morreu, quinta-feira, vítima de um acidente na A3, na zona da Trofa. Tinha acabado de fazer um serviço e regressava a casa, quando um carro lhe bateu na traseira. Teve morte imediata. A família exige justiça.
Alberto Monteiro teria feito a última corrida no Ikea, em Leça da Palmeira, onde, pelas 10.30 horas de anteontem, foi visto por colegas a receber duas mulheres. A família diz que fora fazer um serviço a Santo Tirso. Tudo indica, por isso, que estaria de regresso a casa. O acidente ocorreu, cerca das 23.05 horas, ao quilómetro 10,4 da A3, no sentido Santo Tirso/ /Porto, na recta em frente às instalações da Bial, na Trofa.
Segundo uma fonte dos Bombeiros Voluntários de Santo Tirso, o táxi (um Mercedes), seguiria na via da direita e terá começado a desviar-se em direcção ao separador central, quando um carro (outro Mercedes) lhe bateu na traseira. Isso foi o que contou o condutor desse veículo, que não sofreu quaisquer ferimento
Alberto Monteiro não teve a mesma sorte. O embate foi extremamente violento, com os dois carros a ficarem praticamente destruídos. "A pancada foi tão forte que a parte traseira do carro ficou toda metida dentro", descreve, ao JN, um tio da vítima, António Monteiro, adiantando que o táxi ficou de tal ordem que teve de ser mandado para a sucata.
Segundo esse familiar, Alberto ficou encarcerado no carro. "Partiu a espinha ao meio. Não teve hipótese. Morreu logo no local", lamenta António Monteiro.

Ao lado, um dos dois filhos da vítima, que estava a dormir quando às 2 horas lhe deram a má notícia, não consegue conter as lágrimas. Já o pai de Alberto repete vezes sem conta: "Mataram o meu filho". "Só queremos justiça. Esse bandido devia ir preso", reclama, por sua vez, António Monteiro.
No local do acidente estiveram quatro viaturas dos Voluntários de Santo Tirso, com um carro de desencarceramento, 12 homens, e a Viatura Médica de Famalicão. O choque não obrigou ao corte da circulação na A3. Os trabalhos de limpeza do pavimento e remoção dos automóveis ficaram concluídos cerca das 2 horas de ontem.

 - adaptado de JN
 
 
 

p.s. - Imagem não corresponde à situação e é apenas ilustrativa
 
 
 

1 comentário:

  1. Bem, de facto esta violência na estrada está demais! é preciso ter cuidado
    Pitt

    ResponderEliminar